Wed. Jun 19th, 2024

Quando um cheiro tão desagradável que os moradores locais o chamaram de “inimaginável” flutuou sobre a Cidade do Cabo esta semana, uma busca pela origem do fedor que sufocava o pitoresco destino turístico sul-africano levou ao porto da cidade.

A quase um quilômetro e meio do cais, na manhã de segunda-feira, Terence van der Walt, um distribuidor local de vinhos, ficou preso no trânsito quando o odor, agravado pelo clima quente do verão, começou a penetrar em seu carro. Com um cheiro tão envolvente, fechar as janelas parecia inútil.

“Foi tão pútrido”, disse van der Walt na terça-feira, descrevendo sua experiência. “Teria sido verde se fosse um desenho animado.”

Depois que o cheiro pairou sobre a Cidade do Cabo por várias horas, uma equipe do departamento de saúde ambiental local descobriu a fonte: um transportador de gado de 623 pés de comprimento registrado no Kuwait – com 19 mil vacas a bordo.

A transportadora, Al Kuwait, atracou no movimentado porto da Cidade do Cabo no domingo para reabastecer os estoques de alimentação durante sua viagem ao Iraque a partir do porto de Rio Grande, no Brasil, de acordo com dados de navegação. Os animais estavam a bordo há mais de duas semanas.

Foi a primeira vez que o navio atracou na África do Sul, disse Jacques Peacock, porta-voz da Sociedade Nacional para a Prevenção da Crueldade contra os Animais. Assim, a organização obteve uma ordem judicial antes da chegada do navio que permitia que inspetores do grupo embarcassem no navio e inspecionassem sua carga.

A bordo, eles encontraram um acúmulo de fezes e amônia nos apertados cercados dos animais em vários conveses. Criou um odor “inimaginável”, disse o grupo na segunda-feira em comunicado.

“Este cheiro é um indicativo das terríveis condições que os animais enfrentam”, afirmou.

O grupo fez campanha na África do Sul contra o transporte de animais vivos por mar e pressionou o governo do país para proibir a prática nas suas águas. Tais navios têm frequentemente má ventilação e condições anti-higiénicas, disse o grupo, acrescentando que os animais correm o risco de serem pisoteados ou feridos em viagens em mar agitado, e os navios raramente têm um veterinário a bordo.

Embora o governo sul-africano tenha emitido novas directrizes no ano passado relativamente aos animais exportados do país, o Sr. Peacock disse que a SPCA planeia agora procurar directrizes mais rigorosas para navios provenientes de outras nações exportadoras de gado.

O navio é propriedade da empresa Al Mawashi, com sede no Kuwait, especializada no comércio e transporte de gado, com filiais em Dubai, África do Sul e Austrália. A empresa não respondeu aos pedidos de comentários.

O porta-aviões permaneceu no porto na terça-feira e deveria deixar as águas sul-africanas na quarta-feira.

As autoridades instruíram a autoridade local que administra o porto a garantir que o navio não bombeie nenhum resíduo para o porto. Van der Walt, por sua vez, disse que nadou no oceano na terça-feira e descobriu que a água estava limpa.

Entretanto, embora o cheiro viesse de fora da cidade, foi um lembrete preocupante para os habitantes locais que têm lidado com outra fonte de matéria suja: a infraestrutura de saneamento da cidade em ruínas.

Os vereadores do gabinete do prefeito agiram rapidamente para garantir aos moradores que o último cheiro nocivo não emanava de esgoto bruto, como aconteceu poucas semanas antes, quando uma bomba de água quebrou em um subúrbio do nordeste.

No outono passado, fortes chuvas danificaram canalizações noutro subúrbio, enviando esgotos para rios e zonas húmidas, disse Caroline Marx, diretora do Rethink the Stink, um grupo de ativismo hídrico na Cidade do Cabo. E desde então, a área sofreu cerca de uma dúzia de vazamentos de esgoto, disse ela.

Apesar de a cidade ter aumentado o seu orçamento para o saneamento, disse a Sra. Marx, a Cidade do Cabo tem lutado para acompanhar a rápida urbanização. Longe dos seus hotéis luxuosos e subúrbios ricos, os residentes em favelas em crescimento sem serviços básicos partilham frequentemente uma bomba de água e casas de banho químicas portáteis.

“A cidade está anos atrás de onde eles gostariam de estar”, disse Marx.

Source link

By NAIS

THE NAIS IS OFFICIAL EDITOR ON NAIS NEWS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *