Fri. Jul 19th, 2024

Mustafa Suleyman, cofundador do laboratório de inteligência artificial DeepMind do Google, está deixando a start-up que dirigia para liderar o negócio de IA de consumo da Microsoft, em outro sinal dos planos agressivos da Microsoft para a tecnologia.

Suleyman se reportará diretamente a Satya Nadella, presidente-executivo da Microsoft, disse a empresa na terça-feira.

Suleyman, cuja start-up, Inflection AI, arrecadou US$ 1,5 bilhão em financiamento, será responsável pela expansão de um negócio de IA para o consumidor, incluindo o chatbot Copilot da Microsoft, o mecanismo de busca Bing e o navegador de internet Edge.

Um de seus cofundadores da Inflection AI, Karén Simonyan, um pesquisador líder que também veio da DeepMind, também se juntará à Microsoft, assim como grande parte de sua equipe.

“Estou entusiasmado por eles contribuírem com seu conhecimento, talento e experiência para nossa pesquisa de IA de consumo e fabricação de produtos”, disse Nadella por e-mail à equipe. Ele acrescentou: “Temos operado com velocidade e intensidade, e esta infusão de novos talentos nos permitirá acelerar nosso ritmo mais uma vez”.

Suleyman co-fundou o DeepMind, um laboratório ambicioso e seminal de IA em Londres, em 2010. Depois de ter feito um avanço com a IA que poderia jogar jogos complexos, a DeepMind foi adquirida pelo Google em 2014.

Suleyman deixou o Google em 2022 e foi cofundador da Inflection AI, uma start-up que busca construir um assistente pessoal de IA. Em maio, apresentou seu assistente ao consumidor, Pi, que foi elogiado por sua natureza amigável e solidária, mas ganhou apenas um milhão de usuários diários, muito menos do que o chatbot ChatGPT da OpenAI.

Com grande parte da equipe da Inflection AI saindo para a Microsoft, a empresa disse que estava mudando sua abordagem. Embora não esteja fechando a Pi, não se concentrará mais na construção de um negócio de consumo. Em vez disso, trabalhará com clientes comerciais para criar, testar e ajustar sistemas de IA. A Microsoft também está licenciando a mais recente tecnologia subjacente da Inflection AI para disponibilizá-la aos clientes empresariais de seus produtos de computação em nuvem.

A Inflection AI anunciou que contratou Sean White, que anteriormente trabalhou na Mozilla, fabricante do popular navegador Firefox, para assumir o cargo de presidente-executivo.

(O New York Times processou a OpenAI e a Microsoft em dezembro por violação de direitos autorais de conteúdo de notícias relacionado a sistemas de IA.)

Como um dos fundadores da DeepMind, o Sr. Suleyman ajudou a popularizar a ideia de que a tecnologia de inteligência artificial poderia um dia destruir a humanidade. Mas também demonstrou preocupação com os perigos mais concretos e imediatos associados à tecnologia, incluindo a propagação da desinformação e a perda de empregos.

No seu livro recente, “The Coming Wave”, argumentou que se estes e outros perigos pudessem ser ultrapassados, a tecnologia seria enormemente transformadora, especialmente como meio para a descoberta de medicamentos e outras formas de cuidados de saúde.

A DeepMind e a Inflection AI não apelaram ao código aberto das tecnologias de IA mais poderosas, uma abordagem em que as empresas partilham o código bruto por detrás de novos sistemas num esforço para aumentar a sua popularidade e permitir que engenheiros externos resolvam as suas deficiências. Mas Suleyman argumentou que as tecnologias de IA não deveriam, em última análise, ser controladas por nenhuma empresa.

A possibilidade de abrir a tecnologia de IA de código-fonte tornou-se um ponto de debate entre as empresas de tecnologia. Alguns, como a empresa xAI de Meta e Elon Musk, argumentam que o código aberto é a melhor maneira de garantir uma tecnologia segura. Mas a OpenAI, parceira próxima da Microsoft, manteve sigilo em torno do código de sua mais nova tecnologia.

Source link

By NAIS

THE NAIS IS OFFICIAL EDITOR ON NAIS NEWS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *