Mon. May 27th, 2024

Um voo da Southwest Airlines retornou com segurança ao Aeroporto Internacional de Denver no domingo, depois que a tampa do motor de um Boeing 737-800 caiu durante a decolagem e atingiu a asa, disse a Administração Federal de Aviação.

O voo 3695 tinha como destino Houston, mas retornou ao aeroporto de Denver por volta das 8h15, depois que a tripulação relatou que a capota do motor caiu.

O avião, que transportava 135 passageiros e cinco tripulantes, foi rebocado de volta ao portão. A FAA disse que iria investigar.

Em comunicado, a Southwest Airlines disse que suas equipes de manutenção estavam revisando a aeronave. A Southwest disse que os passageiros embarcaram em outro avião e chegaram ao aeroporto William P. Hobby, em Houston, com aproximadamente três horas de atraso.

“Pedimos desculpas pela inconveniência do atraso, mas colocamos nossa maior prioridade na segurança máxima de nossos clientes e funcionários”, disse o comunicado.

Um vídeo feito de uma janela perto da asa do avião, postado nas redes sociais, mostrou uma capota azul descascando do motor e girando com o vento enquanto o avião descia pela pista antes que grande parte dela finalmente caísse.

“Vamos declarar uma emergência para Southwest 3695 e gostaríamos de um retorno imediato”, disse um membro da tripulação, de acordo com transmissões de rádio com um controlador de tráfego aéreo. “Temos um pedaço da capota do motor pendurado.”

O incidente aconteceu durante um período de maior escrutínio sobre outros episódios de viagens aéreas comerciais, começando com a terrível emergência de 5 de janeiro no voo 1282 da Alaska Airlines, em que um painel conhecido como plugue de porta explodiu um novo Boeing 737 Max 9, entregue ao companhia aérea apenas alguns meses antes.

Ninguém morreu, mas o incidente desencadeou investigações sobre o Max 9 da Boeing e levantou questões sobre problemas de controle de qualidade na produção de seus aviões.

Depois veio uma série de oito episódios no mês passado envolvendo aeronaves da United Airlines em um período de duas semanas.

Problemas de manutenção, pneus soltos e falta de painéis estavam entre os problemas que afetaram seis jatos Boeing e dois jatos Airbus. Um especialista em segurança disse que tais casos eram típicos e estavam sendo “falsamente confundidos com os problemas da Boeing”.

Source link

By NAIS

THE NAIS IS OFFICIAL EDITOR ON NAIS NEWS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *