Tue. May 21st, 2024

No meio da escassez generalizada de alimentos e do colapso da ordem civil, grupos de civis desesperados em Gaza tentam regularmente emboscar comboios de ajuda, de acordo com dois responsáveis ​​ocidentais que estiveram recentemente no enclave e imagens de uma dessas emboscadas analisadas pelo The New York Times.

Nas imagens, várias dezenas de jovens, alguns deles portando cassetetes, tentam bloquear a passagem de um comboio de camiões enquanto circulam por uma importante autoestrada no sul de Gaza, depois de entrarem no território vindos do Egito. Os caminhões são brevemente forçados a sair da estrada enquanto os motoristas desviam para evitar atingir os homens. Alguns dos assaltantes atiram pedras nos pára-brisas dos camiões, aparentemente para tentar detê-los.

As imagens, com carimbos de data e hora indicando que foram tiradas nos últimos dias, foram revisadas por um repórter do The Times.

Tais ataques tornaram-se comuns desde a invasão de Israel no ano passado, à medida que civis desesperados enfrentam a fome em zonas do enclave, segundo as autoridades, que falaram sob condição de anonimato para evitar complicar o seu trabalho em Gaza. Num ataque recente, os agressores atiraram um machado contra a cabine do condutor, tentando arrombar-a, enquanto noutro os agressores atiraram um bloco de cimento, segundo um dos responsáveis.

Israel atribui grande parte do roubo ao Hamas, que acusa de desviar suprimentos para as suas próprias forças.

Mas as autoridades ocidentais disseram que os ataques pareciam ter sido organizados principalmente por grupos de habitantes de Gaza que não eram afiliados ao Hamas, ou foram atos espontâneos de civis desesperados. Os responsáveis ​​do Hamas mal estão presentes no terreno em qualquer parte de Gaza, disseram os responsáveis, e as organizações de ajuda internacionais já não coordenam os seus movimentos com o grupo que até Outubro controlava a totalidade do território.

As emboscadas aos comboios de ajuda humanitária são, em parte, resultado de um colapso na aplicação da lei, disseram as autoridades. Os policiais de Gaza recusam-se agora a proteger os comboios porque temem que sejam alvo de Israel devido à sua filiação ao governo dirigido pelo Hamas, disseram as autoridades. Isso deixa os comboios mais vulneráveis, acrescentaram.

Diplomatas estrangeiros dizem, em privado, que alimentos suficientes estão a chegar à fronteira de Gaza através do Egipto para evitar a fome, mas o problema é a sua distribuição para áreas além de Rafah, a cidade do sul que margeia a fronteira com o Egipto.

No norte de Gaza, grupos de ajuda humanitária dizem que outro grande obstáculo é a dificuldade em coordenar uma passagem segura com os militares israelitas.

Ao contrário do sul de Gaza, o norte está maioritariamente sob total controlo israelita e grupos de ajuda dizem que Israel bloqueia regularmente o acesso à Cidade de Gaza e aos distritos vizinhos.

Israel acusou os grupos de ajuda humanitária de não conseguirem coordenar os seus comboios de forma suficientemente estreita com o governo israelita e afirma que nem todos os pedidos de acesso podem ser concedidos devido à continuação dos combates.

Num caso ocorrido no início de Fevereiro, as Nações Unidas acusaram a marinha israelita de bombardear um comboio de ajuda humanitária que se dirigia para a estrada costeira de Gaza em direcção à Cidade de Gaza. Os militares israelenses disseram que estavam investigando a reclamação.

Source link

By NAIS

THE NAIS IS OFFICIAL EDITOR ON NAIS NEWS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *