Sun. May 26th, 2024

A missão iraniana da ONU em Nova Iorque não comentou imediatamente o relatório.

A equipa de averiguação, criada no final de 2022, viu recusado o acesso ao Irão. Afirmou que enfrentou obstáculos decorrentes da vigilância electrónica governamental, do assédio e da intimidação de algumas testemunhas e vítimas, dissuadindo muitas pessoas de prestar depoimento. Mas através de entrevistas aprofundadas com outras pessoas, juntamente com o acesso a relatórios independentes, imagens médicas e documentos oficiais, a missão disse que foi capaz de recolher provas suficientes para estabelecer os factos.

Detalha padrões de utilização de força letal e menos letal pelas forças de segurança para dispersar protestos, incluindo a utilização de armas armadas com chumbo para pássaros e visando sistematicamente a cabeça, o rosto, o pescoço e os órgãos genitais dos manifestantes, infligindo frequentemente ferimentos permanentes que alteram a vida.

Na sua repressão, as autoridades prenderam dezenas de milhares de pessoas, incluindo centenas de crianças, algumas com apenas 10 anos, disse a missão, notando declarações oficiais de que o governo perdoou 22 mil pessoas e que a idade média dos detidos era de 15 anos.

Mas a missão também revelou provas de tortura e violência sexual dirigidas aos detidos para extrair confissões e informações e para punir e humilhar as vítimas. O abuso físico incluiu espancamentos, queimaduras, choques elétricos e permanência em posições estressantes. A violência sexual, que os investigadores disseram ter sido usada contra mulheres, homens e crianças, incluía violação e ameaças de violação, electrocussão dos órgãos genitais, nudez forçada e apalpadelas.

As crianças foram detidas durante dias, até semanas, sem saber os motivos da sua detenção e sem contacto com as suas famílias, relataram os investigadores. “Tal como acontece com os adultos, foram submetidos a severas torturas físicas, psicológicas e sexuais, incluindo violação.”

Source link

By NAIS

THE NAIS IS OFFICIAL EDITOR ON NAIS NEWS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *