Mon. Jul 22nd, 2024

Um autocarro que saiu de um viaduto elevado na África do Sul e caiu numa ravina rochosa, matando 45 pessoas e deixando apenas uma menina de 8 anos viva, transportava fiéis cristãos do vizinho Botsuana numa peregrinação anual.

Os peregrinos nunca tinham sido conduzidos por essa rota pela traiçoeira e sinuosa estrada montanhosa onde ocorreu o acidente, disse Segametsi David, um presbítero da Igreja Cristã St. Engenas Zion, em Molepolole, uma aldeia no Botswana.

“Choramos ontem à noite”, disse a Sra. David, que na sexta-feira estava visitando as famílias das vítimas na aldeia. “Neste momento, não temos lágrimas. Estamos apenas tentando encorajar aqueles que perderam entes queridos. Mas é difícil.”

A menina de 8 anos que sobreviveu estava em estado estável, com ferimentos ligeiros, na sexta-feira, informaram as autoridades de saúde da província de Limpopo, no nordeste da África do Sul, onde ocorreu o acidente.

O ônibus caiu 50 metros de um viaduto e caiu em um barranco, onde pegou fogo. O motorista também morreu, disseram autoridades.

Os investigadores ainda estavam vasculhando os destroços para recuperar os corpos e determinar a causa do acidente. As autoridades disseram que o motorista perdeu o controle em uma curva fechada em uma passagem na montanha Mmamatlakala. A polícia estava investigando o acidente como um caso de homicídio culposo, segundo um comunicado, mas não forneceu mais detalhes.

A menina que sobreviveu cresceu na igreja porque seus pais eram muito ativos e ela era “apaixonada por Deus”, disse a Sra. Ela estava viajando para a África do Sul com a avó, disse David.

As equipes de emergência encontraram a menina fora do ônibus com pequenas lacerações nos braços, pernas, cabeça e costas, disse Thilivhali Muavha, porta-voz do Dr. Phophi Ramathuba, funcionário que supervisiona o Departamento de Saúde na província de Limpopo.

Muavha disse que as autoridades ainda não determinaram como a menina, que não foi identificada publicamente, conseguiu sobreviver a um acidente tão devastador.

“Tudo o que podemos dizer é que estamos felizes por ela ter sido encontrada viva”, disse ele.

A polícia sul-africana confirmou na sexta-feira que todos os 45 passageiros do autocarro, juntamente com o motorista, eram cidadãos do Botswana que viajavam para a África do Sul a partir de Molepolole, uma aldeia que é considerada a porta de entrada para o vasto deserto do Kalahari.

Até a tarde de sexta-feira, 34 corpos foram recuperados, disse a polícia. Apenas nove deles foram identificáveis, com os outros queimados e irreconhecíveis.

A tragédia lançou uma nuvem sobre o Botswana, uma nação fortemente cristã de cerca de 2,5 milhões de habitantes que se preparava para celebrar o fim de semana da Páscoa.

A Igreja Cristã de Sião é a maior denominação da África Austral. A peregrinação anual de Páscoa na sede da igreja em Moria, na África do Sul, normalmente atrai milhões de visitantes.

“É uma catástrofe”, disse Lemogang Kwape, ministro dos Negócios Estrangeiros do Botswana. “Estamos muito afetados pelo que aconteceu, especialmente porque as pessoas iriam se divertir no Senhor.”

O Sr. Kwape disse ter recebido um telefonema do seu homólogo sul-africano, Naledi Pandor, para o actualizar sobre a situação. A Igreja de Sião não é apenas uma importante denominação religiosa no Botswana, mas também está envolvida no desenvolvimento comunitário, disse ele, incluindo a construção de clínicas médicas.

África tem historicamente tido uma das taxas mais elevadas de mortes nas estradas do mundo, de acordo com dados do Banco Mundial e da Organização Mundial de Saúde.

Source link

By NAIS

THE NAIS IS OFFICIAL EDITOR ON NAIS NEWS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *