Fri. Feb 23rd, 2024

Foi difícil para os fãs do filme de sucesso “Barbie” do ano passado ignorarem a reviravolta do destino na terça-feira, quando Greta Gerwig, a diretora do filme, e Margot Robbie, sua estrela titular, foram excluídas das categorias do Oscar de melhor diretor e melhor atriz. Poderia ter sido literalmente um ponto de virada do filme, que serve de lição sobre as estruturas patriarcais que moldam nossas instituições e nossas formas de pensar.

Na quarta-feira, Hillary Clinton entrou na conversa postando uma mensagem para Gerwig e Robbie nas redes sociais. “Greta e Margot, embora possa doer ganhar as bilheterias, mas não levar o ouro para casa, seus milhões de fãs amam vocês”, escreveu Clinton. “Vocês dois são muito mais que Kenough”, acrescentou ela, referindo-se a uma frase que aparece no moletom de Ken no filme.

Talvez a mensagem não pudesse ter vindo de uma figura pública mais adequada do que Clinton, uma antiga secretária de Estado que, claro, perdeu as eleições presidenciais de 2016 para Donald Trump, apesar de ter ganho no voto popular.

Ela foi apenas uma das muitas que compartilharam sua consternação com o fato de Gerwig e Robbie terem sido desprezados enquanto o filme em si recebia oito indicações – inclusive para melhor filme; de melhor ator, para Ryan Gosling, que interpreta Ken; e de melhor atriz coadjuvante, para America Ferrera.

Na terça-feira, depois da leitura das nomeações, Gosling emitiu uma longa declaração expressando a sua decepção: “Nenhum reconhecimento seria possível para qualquer pessoa no filme sem o seu talento, coragem e genialidade”, escreveu ele. Em entrevista à Entertainment Weekly, Ferrera chamou o trabalho deles de “fenomenal” e disse que ambos “merecem ser reconhecidos pela história que fizeram, pelo terreno que abriram, pela bela arte”.

Billie Jean King, a campeã de tênis que conquistou salários iguais para as mulheres no Aberto dos Estados Unidos de 1973, postou na quarta-feira que ela estava “muito chateado com o desprezo da #Barbie, especialmente na categoria de Melhor Diretor”.

“O filme é absolutamente brilhante”, escreveu King, “e Greta Gerwig é um gênio”.

By NAIS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *