Tue. May 28th, 2024

Há uma nova ação em alta em Wall Street, na qual alguns investidores estão ansiosamente investindo. Seu maior acionista é o ex-presidente Donald J. Trump.

Sua empresa de mídia social, Trump Media & Technology Group, começou a ser negociada na Nasdaq na terça-feira, sob o código DJT, e imediatamente subiu em valor, ganhando 40% nas primeiras negociações.

A Trump Media – controladora da Truth Social, a plataforma online que é o principal megafone de Trump para alcançar apoiadores e perseguir críticos – fechou sua fusão com uma empresa pública de fachada rica em dinheiro na segunda-feira.

As ações da empresa de fachada subiram antes do acordo, em uma negociação frenética que alimentou a empresa desde que propôs a fusão com a empresa de Trump em 2021. A Trump Media tem um valor de mercado estimado bem acima de US$ 6 bilhões, mais do que empresas estabelecidas. como Alaska Airlines, Western Union e American Eagle Outfitters.

O maior beneficiário da ação do mercado é Trump, que possui cerca de 60% das ações da Trump Media. Sua participação na empresa vale mais de US$ 4 bilhões.

Antes da fusão, as ações da empresa de fachada – Digital World Acquisition Corporation – comportavam-se há muito tempo como uma espécie de proxy do sentimento dos investidores em relação a Trump. E é provável que isso continue para as empresas resultantes da fusão, especialmente porque Trump continua nas manchetes com os julgamentos pendentes e a campanha presidencial.

Pela maioria das medidas tradicionais, a avaliação da Trump Media é excessivamente elevada. A empresa obteve receitas de apenas US$ 3,3 milhões durante os primeiros nove meses do ano passado, todas provenientes de publicidade no Truth Social, e registrou um prejuízo de US$ 49 milhões.

Isso significa que o valor de mercado da Trump Media é mais de 1.000 vezes a sua receita anual estimada. Os investidores atribuem por vezes avaliações elevadas a empresas pequenas e que registam perdas financeiras, na expectativa de um rápido crescimento – ou na crença de que outros investidores continuarão a licitar as ações de uma empresa, por qualquer razão – mas normalmente não nesta escala.

Outras empresas de mídia social negociam com taxas de preço/vendas muito menores do que a Trump Media: Reddit está em torno de 10, Meta está em 7 e Snap está em 6, de acordo com a FactSet. Ações de tecnologia de alto nível, como as fabricantes de chips Nvidia e ARM, são negociadas com relações preço/vendas de cerca de 25.

Os investidores que investiram nas ações da Digital World tendem a ser indivíduos, em vez de empresas de investimento e fundos de hedge. Num quadro de mensagens no Truth Social, criado por apoiantes da fusão, investidores individuais aplaudiram a estreia da Trump Media sob o seu novo símbolo de ações.

Com base nos seus padrões de negociação, a Trump Media se parece muito com as chamadas ações meme – GameStop, AMC Entertainment e outras – que foram impulsionadas a alturas vertiginosas por exércitos de investidores amadores durante a pandemia.

“É difícil dizer como isso será negociado, mas definitivamente tem o DNA de uma ação meme, então poderemos ver alguma volatilidade extrema”, disse Kristi Marvin, ex-banqueira de investimentos e editora do SPACInsider, que reúne dados sobre o mercado para sociedades de aquisição de propósito específico.

A Digital World foi organizada como uma empresa de aquisição de propósito específico. O único objetivo de um SPAC é arrecadar dinheiro de investidores e depois fundir-se com uma empresa operacional, que então se torna a entidade de capital aberto.

Quaisquer grandes investidores que comprassem ações da Digital World ou, agora, da Trump Media não seriam obrigados a divulgar publicamente as suas participações até meados de maio.

A fusão entre a Trump Media e a Digital World foi concluída quando Trump enfrentou um prazo na segunda-feira para garantir um título para cobrir uma grande penalidade imposta por um juiz em um caso de fraude civil. Mas, em uma pausa para Trump, um tribunal de apelação reduziu a quantia que ele precisaria depositar, de US$ 454 milhões para US$ 175 milhões, e deu-lhe mais tempo para levantar o dinheiro.

A ação do tribunal de apelação pareceu aliviar a pressão sobre Trump para tentar explorar sua recém-adquirida riqueza da Trump Media. Para isso, ele precisaria que o novo conselho de sete membros da empresa eliminasse uma restrição que o impede de vender ações ou de usar ações como garantia por seis meses.

O conselho ainda pode votar para afrouxar essa restrição se for isso que Trump deseja. Ele tem uma enorme influência sobre a empresa: além de possuir cerca de 60% das ações da Trump Media, ele possui uma classe separada de ações que lhe dá pelo menos 55% de poder de voto sobre qualquer medida apresentada para votação dos acionistas.

Trump não atuará mais como presidente da Trump Media, mas o conselho está repleto de diretores que lhe são leais. Eles incluem seu filho mais velho, Donald Trump Jr., e Devin Nunes, presidente-executivo da empresa e ex-congressista republicano da Califórnia. Também fazem parte do conselho três pessoas que serviram em sua administração: Kash Patel, que foi chefe de gabinete do secretário interino de defesa de Trump; Robert Lighthizer, ex-representante comercial dos EUA; e Linda McMahon, ex-administradora da Small Business Administration.

McMahon é presidente de uma grande arrecadação de fundos para Trump marcada para 6 de abril em Palm Beach, Flórida.

Mas agora que Trump já não enfrenta uma necessidade urgente de angariar uma grande quantidade de dinheiro, ele poderá contentar-se em deixar a restrição de seis meses à venda de ações permanecer. Afinal de contas, uma enxurrada de ações da Trump Media no mercado provavelmente deprimiria o preço das ações ou impediria que subisse ainda mais.

Além disso, do ponto de vista de Trump, o aumento do preço das ações da Trump Media dá-lhe o direito de se gabar durante a campanha. Um de seus cartões de visita políticos tem sido falar sobre seu sucesso como empresário e sua enorme riqueza – algo que lhe é mais fácil de fazer desde a fusão.

O maior desafio para o conselho da Trump Media é definir uma estratégia para aumentar os negócios da empresa e expandir o alcance da Truth Social, a fim de justificar a avaliação da empresa. O Truth Social, que foi baixado cerca de 10 milhões de vezes desde seu lançamento em 2022, é relativamente pequeno no universo da mídia social, dependendo em grande parte das postagens de Trump para atrair tráfego.

Ao fundir-se com a Digital World, a Trump Media obteve uma infusão extremamente necessária de cerca de 300 milhões de dólares em dinheiro que a Digital World levantou de investidores. Sem essa infusão, a Trump Media e a Truth Social estavam pensando em fechar potencialmente.

Mas, como empresa pública, a Trump Media irá agora atrair mais escrutínio por parte de investidores e reguladores. Será obrigado a apresentar relatórios financeiros periódicos à Comissão de Valores Mobiliários e a revelar detalhadamente quaisquer novos acordos que possa fechar com Trump.

“Numa empresa pública, agora temos o escrutínio de investidores e reguladores”, disse Usha Rodrigues, professora de direito societário na Faculdade de Direito da Universidade da Geórgia. “Qualquer acionista agora tem legitimidade para entrar com uma ação judicial se alegar que uma das declarações da empresa é enganosa.”

Source link

By NAIS

THE NAIS IS OFFICIAL EDITOR ON NAIS NEWS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *