Wed. Feb 21st, 2024

Sempre que Alex Lee menciona Clown Cardio, ele fica confuso.

“As pessoas dirão: ‘O que é isso? Pessoas vestidas como palhaços correndo atrás de você?’”, disse Lee, um redator técnico de 42 anos que mora em Los Angeles, após uma aula recente. Ninguém está usando pintura facial ou nariz vermelho – nem estão necessariamente perseguindo ninguém (mais sobre isso depois) – mas esta sessão de uma hora, que custa US$ 20, incorporou uma buzina de bicicleta, mini tendas de circo da Ikea e caixas de pipoca estilo carnaval.

Jaymie Parkkinen, que fundou a classe no Pieter Performance Space em Los Angeles, compila jogos de teatro geralmente reservados para aquecimentos de improvisação e os transforma em exercícios aeróbicos com adereços com tema de palhaço: um jogo semelhante ao blob tag, em que os braços de ligação marcados e perseguir todos; uma versão mais caótica de cadeiras musicais; uma versão em tenda de circo de Capture the Flag; competições de dança desordenadas.

Quando Parkkinen deseja expandir o repertório da turma, ele visita a Biblioteca Central de Los Angeles e examina a seção de apresentações; recentemente ele se inspirou em exercícios encontrados em um livro da década de 1920 para vaudevilianos.

Nesta aula, participantes de todos os sexos e idades são incentivados a deixar tudo sair. “Quero enfatizar o jogo, não a vitória”, anunciou Parkkinen antes do Clown Dodge Ball. A música disco “Turn the Beat Around” tocou enquanto metade da turma competia para virar de pé as caixas de pipoca espalhadas pela sala, enquanto a outra tentava ter mais delas viradas para baixo quando a música terminasse.

“Eu posso descompactar o traje humano e ser um pequeno duende nojento e isso é aceito porque os palhaços estão acessando sua criança interior”, disse Sarah Thompson, 29 anos, redatora de marketing que mora em North Hollywood e frequentou quatro aulas.

Los Angeles já abriga uma comunidade vibrante de palhaços, com oficinas de palhaços e shows como Clown Church, Clown Zoo, uma oficina de palhaços psicodélicos, The Idiot Workshop e um show de premiação de palhaços, mas Clown Cardio é exclusivamente focado em exercícios.

Clown Cardio foi concebido e lançado em setembro de 2023, logo depois que a mãe do Sr. Parkkinen foi diagnosticada com câncer em estágio avançado. Parkkinen, que trabalhava meio período como advogado em uma empresa de entretenimento, foi inspirado a se concentrar mais especificamente no que lhe trazia alegria: os aquecimentos de improvisação, onde a bobagem e a fisicalidade são totalmente ativadas.

Tendo como objetivo a brincadeira, o riso e o som são uma das métricas que o Sr. Parkkinen usa para avaliar o sucesso de cada aula: “É o elemento auditivo para mim. É difícil decifrar visualmente o nível de alegria.”

A tolice pode melhorar um treino? De acordo com a professora Sophie Scott, neurocientista especializada em riso da University College London, o riso não queima muitas calorias por si só. Mas, semelhante ao exercício, rir causa um aumento significativo de endorfinas. Com o tempo, rir leva a uma redução no hormônio do estresse cortisol, disse ela.

A professora Michelle Liu Carriger, presidente do departamento de teatro da UCLA, acha que a popularidade recente do palhaço pode ser o resultado das pessoas perceberem que a seriedade não nos leva aonde precisamos ir. “O que nos ajudou a superar tempos difíceis de pandemia não foi apenas lavar as mãos e ouvir os profissionais de saúde, mas encontrar formas de nos desligarmos, descontrairmos e desabafarmos.”

Muitos frequentadores das aulas disseram que o que mais gostam no Clown Cardio, que se reúne em três bairros de Los Angeles, é se conectar com outras pessoas. Matthew Moore, ator, produtor e diretor artístico de Improv for the People, de 55 anos, tem 1,80 metro de altura e toma cuidado para não atacar quem ele chama de “pessoas menores” durante as aulas.

Ao longo de uma hora, os participantes foram carinhosos com os outros, certificando-se de que ninguém se machucasse durante uma pilha acalorada. A segurança é uma parte crucial para manter o humor da turma: “Não tem graça se um palhaço leva uma pancada no rosto com uma frigideira e não se levanta”, disse Sam Sullivan, 25 anos, um carpinteiro pitoresco que mora em El Salvador. Sereno que teve aula de palhaço durante a faculdade e agora frequenta Clown Cardio. Na verdade, “isso é triste”.

Vários alunos disseram que assistir às aulas os ajudou a enfrentar a coulrofobia, ou fobia de palhaço. MX. Sullivan costumava ter medo de palhaços, mas chegou à conclusão de que “palhaçar não é tanto pintar o rosto e assustar as pessoas, mas desafiar o fracasso”.

By NAIS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *