Sun. May 26th, 2024

O presidente Biden usou seu discurso sobre o Estado da União na quinta-feira para lembrar aos americanos seus esforços para tirar a economia do país de uma recessão pandêmica e para lançar as bases para um segundo mandato focado em tornar a economia mais equitativa, aumentando os impostos sobre as empresas e os ricos e, ao mesmo tempo, tomar medidas para reduzir custos para a classe média.

Biden ofereceu uma série de políticas visando diretamente a classe média, incluindo esforços para tornar a habitação mais acessível para quem compra uma casa pela primeira vez. O presidente aproveitou o seu discurso para tentar diferenciar as suas propostas económicas daquelas apoiadas pelos republicanos, incluindo o ex-presidente Donald J. Trump. Essas propostas centraram-se em grande parte na redução de impostos, na redução dos investimentos da administração Biden em energia limpa e na destruição do Internal Revenue Service.

Muitas das propostas políticas de Biden exigiriam atos do Congresso e dependeriam da conquista do controle da Câmara e do Senado pelos democratas. No entanto, o presidente também revelou planos para orientar as agências federais a usarem os seus poderes para reduzir custos de itens de grande valor, como a habitação, numa altura em que os efeitos persistentes da inflação continuam a pesar sobre o sentimento económico.

Dos impostos e habitação à inflação e proteção ao consumidor, Biden estava de olho nas questões do bolso.

Muitos dos cortes de impostos que Trump sancionou em 2017 deverão expirar no próximo ano, tornando a política fiscal uma das questões mais críticas nas urnas deste ano.

Na noite de quinta-feira, Biden aproveitou muitas das propostas fiscais que tem promovido nos últimos três anos, apelando às grandes corporações e aos americanos mais ricos para pagarem mais. Ele propôs aumentar um novo imposto mínimo corporativo de 15% para 21% e propôs uma nova taxa mínima de imposto de 25% para bilionários, que, segundo ele, arrecadaria US$ 500 bilhões ao longo de uma década.

Criticando o custo dos cortes de impostos de 2017, Biden perguntou: “Você realmente acha que as grandes e ricas empresas precisam de mais US$ 2 trilhões em incentivos fiscais?”

As altas taxas de juros tornaram a habitação inacessível para muitos americanos, e Biden pediu uma combinação de medidas para ajudar a aliviar esses custos. Isso incluiu créditos fiscais e assistência hipotecária para compradores de casas pela primeira vez e novos incentivos para encorajar a construção e renovação de habitações a preços acessíveis.

Biden pediu ao Congresso que tornasse certos compradores de primeira viagem elegíveis para um crédito de US$ 10.000, além de tornar alguns compradores de casas de “primeira geração” elegíveis para até US$ 25.000 como pagamento inicial.

O presidente também revelou novos subsídios e incentivos para incentivar a construção de moradias populares. Ele também disse que o Consumer Financial Protection Bureau buscaria novas regras para lidar com os custos de fechamento “anticompetitivos” que os credores impõem aos compradores e vendedores, e pediu mais escrutínio dos proprietários que conspiram para aumentar os aluguéis e inserir taxas ocultas nos contratos de aluguel.

Há um limite para o que um presidente pode fazer para domar a inflação rápida, mas Biden usou seus comentários para se apoiar em seu novo bicho-papão favorito: a contração da inflação.

“Saco do mesmo tamanho, coloque menos batatas fritas”, disse Biden. Ele apelou aos legisladores para que aprovem legislação para pôr fim à prática corporativa de reduzir o tamanho dos produtos sem reduzir o seu preço.

O presidente também elogiou os seus esforços para reduzir as cobranças por atraso no cartão de crédito e as taxas “indesejadas” e para eliminar as taxas surpresa para a venda de bilhetes online, e afirmou estar a poupar aos americanos milhares de milhões de dólares devido a várias formas de manipulação de preços.

Um dos mistérios que consomem os conselheiros de Biden é por que ele não recebe crédito suficiente pelas principais peças legislativas que foram promulgadas durante os últimos três anos.

O presidente destacou essas conquistas, lembrando ao seu público a construção de novas estradas e pontes e os investimentos no desenvolvimento de microchips e na produção de energia limpa.

Desviando-se do roteiro, Biden criticou os republicanos por votarem contra algumas dessas políticas enquanto colhiam os benefícios dos investimentos em seus estados.

Como presidente, Biden priorizou a estabilização da relação econômica dos Estados Unidos com a China, ao mesmo tempo que tentou reduzir a dependência dos Estados Unidos dos produtos chineses. Biden mirou Trump, dizendo que, embora o ex-presidente se retratasse como duro com a China, as políticas do governo Biden estavam tendo um impacto maior na redução do déficit comercial bilateral e impulsionando o crescimento econômico dos EUA.

O presidente acrescentou que a sua administração tem estado a reagir contra as práticas comerciais injustas da China e a manter as exportações de tecnologia norte-americana sensível longe dos militares chineses. Ele disse que os republicanos que afirmam que os EUA estão a ficar para trás em relação à China estão errados.

“A América está em ascensão”, disse Biden. “Temos a melhor economia do mundo.”

Source link

By NAIS

THE NAIS IS OFFICIAL EDITOR ON NAIS NEWS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *