Wed. Feb 21st, 2024

Os Representantes dos Bancos e dos Sindicatos Concluíram sem Acordo a Reunião que Realizaram Quarta-feira para Tentar Avançar a Negociação do Acordo Colectivo 24-2026, Muito Centrada nos Aumentos Salariais dos Mais de 140.000 Trabalhadores do Sector.

A associação patronal AEB – da qual fazem parte Santander, BBVA, Banco Sabadell e Bankinter – mantém a sua oferta de aumento salarial em 7% no total, durante toda a vigência do acordo, em resposta ao pedido dos trabalhadores, que aspiram a Alcançar um mínimo de 17%, conforme explicaram fontes sindicais à EFE.

Ambas as partes retomarão as negociações no dia 6 de fevereiro, quando terminar a ronda de apresentação dos resultados dos bancos, que começa dentro de duas semanas, e que será sem dúvida polémica, pelos benefícios históricos das entidades, que são os trabalhadores. Eles são censurados por não se traduzirem em melhorias salariais.

MORE: Duas crianças morreram em um incêndio em São Petersburgo

Na verdade, os sindicatos alertaram recentemente que a paz laboral no sector estava no ar e que a força de trabalho “não pode mais esperar”.

“Se os empregadores não entendem que devem devolver aos seus trabalhadores uma parte do que contribuem para os lucros” que vão apresentar ao mercado em breve e dentro de dois meses aos seus accionistas nas assembleias anuais, FINE, CCOO e A UGT vai implementar “uma escalada de ações neste trimestre”, sobretudo nestas reuniões, alertaram.

“Os empregadores devem compreender que não podem participar nas próximas reuniões focadas em propostas de aumentos de salário mínimo, absolutamente injustificáveis ​​face aos benefícios obtidos e às previsões futuras de continuar a obtê-los”, acrescentam os sindicatos.

A associação bancária AEB confia, por seu lado, que o diálogo culminará num acordo “equilibrado” para ambas as partes e lembra que as negociações estão “na fase inicial”, pelo que até agora só têm as primeiras propostas. . dos sindicatos, que “respeitamos sempre”.

A associação bancária destaca ainda que sempre apoiou o acordo através do diálogo permanente com os sindicatos, como demonstra o facto de este acordo ser o número 25 da sua história e também que ambas as partes se reuniram há menos de um ano para chegar a acordo sobre um aumento salarial extraordinário de 4,5% até 2023.

Amanhã, quinta-feira, 11 de janeiro, reunir-se-á a mesa do acordo de poupança, que reúne os bancos criados pelas antigas caixas económicas, incluindo CaixaBank, Unicaja Banco, Ibercaja ou Kutxabank.

A associação patronal do sector, a CECA, ofereceu na última reunião realizada a 12 de Dezembro um aumento salarial de 5% em 3 anos, muito abaixo do aumento entre 17% e 23% que os trabalhadores pretendem.

By NAIS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *