Fri. Feb 23rd, 2024

Depois de talvez seu pior resultado em sua campanha nas primárias republicanas – terminando em segundo lugar, atrás de “Nenhum desses candidatos” nas primárias de Nevada, nas quais o favorito, o ex-presidente Donald J. Trump, não estava competindo – Nikki Haley descarregou em seu próprio partido, pintando o dia não foi tão ruim para ela, mas para os republicanos.

Em uma postagem nas redes sociais na quarta-feira, Haley classificou seu partido como atolado na mesma desordem que cerca o homem que o refez à sua imagem. Ela apontou três eventos que aconteceram horas antes de seu segundo lugar: reveses republicanos no Congresso por causa de um projeto de lei de segurança nas fronteiras; o anúncio de Ronna McDaniel de que planeja deixar o cargo de presidente do Comitê Nacional Republicano; e a rejeição por um tribunal de apelações da alegação de Trump de que ele está imune de processo sob a acusação de tentar anular os resultados das eleições de 2020.

“Os republicanos continuam fazendo a mesma coisa e obtendo o mesmo resultado: o caos. Essa é a definição de insanidade”, escreveu ela, acrescentando que o “RNC implodiu”, a “Casa do Partido Republicano não pode aprovar NADA” e “Trump perdeu outro processo judicial e teve outro acesso de raiva”.

A missiva é a última ruptura entre Haley e seu partido, já que ela passou a adotar uma abordagem mais dura e combativa em relação a Trump, buscando tirá-lo de sua posição no topo da disputa pela indicação republicana.

Nas primárias de Nevada na terça-feira, a Sra. Haley terminou atrás da opção “Nenhum desses candidatos” na votação. Tecnicamente, ela vencerá a disputa de qualquer maneira, já que a lei eleitoral estadual diz que “apenas os votos expressos para os candidatos nomeados serão contados”. Mas o resultado confuso negou-lhe até mesmo uma vitória simbólica. A equipe de Haley há muito diz que ela não gastou tempo ou dinheiro em Nevada depois que o partido estadual mudou as regras para favorecer Trump, decidindo conceder todos os 26 delegados do estado ao vencedor de uma convenção política marcada para quinta-feira.

Haley continuou a projetar confiança, dizendo que permanecerá na disputa até a Superterça, em 5 de março. Mas ela permanece muito atrás de Trump na maioria das pesquisas estaduais e nacionais. Na Carolina do Sul, onde ela foi governadora e que realizará as primárias em 24 de fevereiro, ela está cerca de 30 pontos percentuais atrás dele. Na Califórnia, um estado da Superterça, e onde ela deverá comparecer a um comício na noite de quarta-feira, ela perdeu mais de 50 pontos.

Tanto na campanha como em entrevistas nacionais esta semana, Haley continuou a apelar a uma nova geração de liderança e criticou Trump por atrasar um acordo de segurança fronteiriça, chamando os atrasos de irresponsáveis ​​e instando o Congresso a aprovar a legislação.

“O problema que tenho é: aqui está o presidente Trump dizendo ao Congresso para não aprovar nada antes das eleições”, disse ela a uma audiência de 500 pessoas em Spartanburg, SC. ​​“Mal podemos esperar”.

By NAIS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *